Som de mulher

 

 

Os olhos são o espelho da alma.
E se isso, verdade é, deixe-os serem a janela, e veja por um instante minha
alma de mulher.

Vê a borboleta que em doces volteios acaricia suave, seus cabelos?

São meus dedos.

Feche os olhos e sinta.
Ao som suave da brisa, minhas carícias que vão lhe envolvendo.

Sinta o toque na pele, que traçando seu rosto vai descendo mansinho
em direção ao seu peito.

São meus beijos.

Sente o roçar pela cintura, como asas de libélula voejando?
É minha língua.
Vou adentrando.

Das vestes, já liberto, sinta o tempo de agosto
que vai molhando seu corpo.

Estou provando seu gosto.

Segure de leve, pressionando, minhas ancas
transformadas em rédeas, enquanto vou cavalgando.

Fica assim...
Parado a sentir o veludo úmido lhe envolvendo.

Você está dentro de mim.

Rápido...
Vem comigo!
Vamos chegar ao fim...

Agora abra lentamente seus olhos.
Sinta a vida transformada
em seiva que de seu corpo flui.

Não me procure.
Como a tarde dessa primavera

Eu já fui...
Asta Vonzodas

POEMA ANTERIOR TC PRÓXIMO POEMA HOME Esta pagina não pode tocar o som de fundo por falta de plug-in em seu computador !
PRODUTOS  JBN
ENVIAR ESTE POEMA PARA O SEU AMOR